domingo, 15 de setembro de 2013

Quando a solidão é um mal necessário...


É preciso mediar os conflitos internos, muitas vezes pôr no final da fila as prioridades, os sentimentos mais sinceros, os sonhos. Abrir mão não é nada fácil, ceder é sofrido, mas a vida te propõe isso o tempo todo, te oferecendo lutas, desafios e juntamente com estes inúmeras decepções. Não há pra onde correr, talvez a solidão seja a única maneira de blindar-se disso tudo, mas não a escolha mais acertada. Ela possibilita esvaziar-se de tudo e de todos, é como sentir a leveza de ser apenas você, mas isso não significa que seu fardo seja leve o suficiente, muito pelo contrário, mas a sensação de despir-se, tirar as sandálias e descansar os pés do caminho árduo traz um momentâneo e ilusório alivio.

Às vezes é preciso parar, ouvir o silencio, sentir a brisa suave, refugiar-se dos próprios pensamentos, pois em certos momentos, até a meditação te leva ao conflito interior, a tomar as decisões equivocadas como solução, ou simplesmente a não encontrar nenhuma, o que pode facilmente leva-lo ao desespero. Num mundo onde o material é o mais importante, onde o sorriso deixou de ser sincero, onde o amor tornou-se banal, está cada vez mais difícil confiar, entregar-se por completo, então, o medo da decepção te leva a não criar mais expectativas, e ao não criá-las se perde o costume de sonhar, de amar, e uma vida sem sonhos e amor é uma vida vazia, desprovida de razão.

É preciso acertar os passos, admitir equívocos, começar de novo, ver o lado bom das coisas, não olhar pra trás. Eu sei, não é nada fácil, ainda mais quando você projetou sua felicidade em pessoas, talvez esse seja o maior erro que alguém pode cometer, pois todo ser humano é dotado de um livre arbítrio. Tudo isso me leva a indagações, as quais eu ainda não cheguei as respostas. Como posso esperar que tal pessoa seja o que eu preciso que ela seja para que eu seja feliz? E ainda, como sonhar e amar sem incluir pessoas ou criar expectativas?

Dizem que a solidão é um mal necessário, que seja, mas que seja um mal passageiro e não um caminho a que se escolhe, que se faça dela uma busca interior do "eu", um autoconhecimento e não um estilo de vida. Dizem que a felicidade é subjetiva, interior; eu acredito que ela tenha um viés subjetivo sim, mas é preciso entender, que existem necessidades humanas as quais sua ausência provocará um contingente desafiador do chamado "estado interior de espírito".

O que eu quero dizer através dessa reflexão é que embora a vida te proponha o tempo todo a caminhar só, use essa solidão a seu favor, como uma maneira de se conhecer; a partir daí serás você mesmo, num mundo onde as outras pessoas caminham pra serem todas iguais numa forma de aceitação grupal; tire proveito disso, descubra o seu “diferencial potencial”, lute pelos seus sonhos e principalmente, por mais desafiadora que seja a sua vida, descubra a força que existe dentro de você.
Olá meus queridos, peço perdão pela minha ausência, mas estava (e ainda estou rs) com alguns problemas pessoas e sem "cabeça" pra escrever. Mas hoje ela resolveu aparecer e aqui estou eu rsrs Vocês não sabem o quanto é vital pra mim estar aqui e encontrar nas palavras alívio e conforto. É isso.

sábado, 17 de agosto de 2013

Apareci

Olá queridos, depois dessa semana corrida, finalmente consegui aparecer por aqui (rsrs) e fiquei muito feliz ao descobrir que apareci no blog da Géssica, o Cereja Black. É um blog já consagrado que abre o seu espaço pra divulgar novos blogs, num quadro chamado Novos Blogueiros. Muito legal a iniciativa! Fiquei muito feliz com as palavras da Gessica \0/. Quem quiser conferir é só clicar no link. Bjão!

sábado, 10 de agosto de 2013

Feliz Dia dos Pais

  

Ao Meu Pai e à Todos os Pais

 
 
 

Carta Cantada
 
Ontem me recolhi mais cedo, após o entardecer. Vesti aquele velho pijama que você me deu, deitei a cabeça no travesseiro e logo meus pensamentos fluíram. Não consegui pregar os olhos, e dessa vez o motivo não foi as contas pra pagar no fim do mês, o aluguel atrasado, planos pendentes, meus sonhos engavetados, um amor não correspondido, ou coisa assim. Parece que viajei no tempo, senti saudade de quando era criança, quando tudo parecia tão natural, quando ainda acreditava em conto de fadas, em Papai Noel, em super-heróis. Sinto falta daquela menina, dos sonhos, da fantasia, de achar que a casa é grande demais, que ser adulto é legal, que os dias passam devagar. A vida passa tão depressa e a gente nem se dá conta do que ficou pra trás. E nessa loucura toda, rotina corrida e cruel, dias vazios e solitários, sete anos se passaram, e com eles, sete aniversários, sete “Dia dos Pais”, sete natais. E nesses sete anos tanta coisa mudou! A cidade está tão diferente, os velhos e fiéis amigos já não estão mais presentes e eu também mudei. Me vesti de armadura, aprendi a me proteger, não confio mais nas pessoas, não acredito mais no amor, caminho ao lado da solidão, pois sempre quando mais precisei ela esteve lá. Amadureci sete anos em sete dias e finalmente compreendi o que queria dizer, quando falava que a gente teria que aprender a se virar sem você, pois não viveria eternamente. Só eu sei o que perdi e o quanto doloroso foi, e por isso, tenho tanto medo de me apegar. Por favor entenda o porque pra mim é tão difícil amar! Me lembrei de quando era criança, você me levando pra escola e eu me sentindo protegida ao seu lado. Me lembrei de você tocando violão, "Roberto Carlos", era seu fã. E também de quando dizia: “apenas com essas três notas - Sol, Dó e Ré - você consegue tocar qualquer canção”. Cresci e percebi que não era bem assim, quando comprei meu primeiro violão, mas tudo bem.  Me lembrei do quanto a vida era dura, de todas as privações, da crise "Era Collor" e tudo mais. Me lembrei que não podia me dar tudo, mas eu juro, não me importava, porquê você me ensinou que o dinheiro não define quem você é. Me lembrei de um natal que você me deu uma boneca, talvez a primeira boneca nova que ganhei, e que eu a chamava carinhosamente de bruxinha. Me lembrei de quando me levava no seu trabalho, as coisas lindas que fazia, de alguns quadros pintados, das fôrmas que esculpia, e tantas coisas que eu admirava; e também daquela feira de ciências que você esculpiu pra mim um “feto” e me salvou de não fazer nada de especial. Me lembrei de quando só você acreditou nos meus sonhos que hoje em dia já não existem mais. Me lembrei de quando você se importou comigo, quando as outras pessoas só se importaram com o que perderam, quando eu me perdi. Me lembrei de quando a gente ouviu o Fábio Jr. cantar "Pai" e você disse que era preciso amar muito um pai pra se fazer uma canção daquela e se emocionar toda vez que cantar. E hoje queria te dizer que também fiz uma canção pra ti – 9 de Novembro – e também me emociono toda vez que a canto. Me lembrei do quanto foi difícil descobrir que você não era tão forte assim, ao te ver chorar pela única vez; o quanto foi difícil levantar da cama no dia seguinte; o quanto foi difícil superar. Ainda convivo com aquela  culpa, me perdoa não ter podido impedir, não ter conseguido me despedir. Você sabe, na vida tive tão "pouco" afeto e perder o "pouco" é perder tudo, e é demasiadamente terrível pra alguém tão sensível como eu. Eu queria te contar as novidades, você ganhou mais um neto, sua outra filha está prestes a se formar, conseguiu um novo emprego e eu queria que você soubesse a profissão que escolhi, acho que sentiria orgulho de mim. Queria que você soubesse que eu fiquei bem apesar de tudo, que te amo, e que sempre penso em você. Me despeço, pedindo perdão pelas minha escrita simples, pelas palavras soltas, pelas frases não articuladas, confusas e às vezes até sem sentido. É que dessa vez não coube enfeitar a minha tristeza, pôr nas entrelinhas o meu grito de socorro ou camuflar a  minha’ alma. Mas não se preocupe comigo, isso passa, mas hoje preciso ficar só e chorar um pouco pra aliviar e onde você estiver, esteja em paz - EU TE AMO e FELIZ DIA DOS PAIS! Heróis não morrem, não é?

 

terça-feira, 30 de julho de 2013

El ESCONDITE DE LAS GOLONDRINAS


Olá queridos! Hoje eu queria dividir com vocês algo muito especial que me aconteceu! Recentemente, uma menina chamada Victória visitou e se inscreveu no meu blog, e eu como de costume logo fui retribuir... Chegando lá fiquei surpresa ao saber que Victória não é brasileira, ela das Ilhas Canárias (Espanha), mais precisamente, da Ilha Tenerife, uma das mais lindas! Espiem só!


 
 
Conhecida por sua origem vulcânica, a Ilha é famosa também por sediar um dos três carnavais mais importantes do mundo.
 
 
 
 
Paraíso!! Aposto que já está programando suas próximas férias, né?! rsrs


Agora falando um pouquinho sobre a Victoria... Ela cresceu em meio a artistas, como poetas, pintores, músicos, e herdou deles o talento, a habilidade e sensibilidade demonstrada em cada um de seus trabalhos: "Eu acho que é algo que herdei deles". Victória se define como uma pessoa muito simples, que ama a família e amigos, que não gosta mentiras ou hipocrisia e repudia qualquer tipo de injustiça e abuso.  Confira algumas imagens de trabalhos de Victória e seus alunos:
 
 
 

 
 
 Eu fico muito feliz em mostrar esses trabalhos, pois o meu pai era artesão, tinha uma habilidade incrível em criar, pintar, desenhar, esculpir... Infelizmente é uma classe ainda muito
desvalorizada no Brasil...
 
 



Puxa! 5 anos! Imagine quando for adulto?! Muito lindo!
 
 



Gostaram? Então convido todos à conhecerem o blog da Victória El ESCONDITE DE LAS GOLONDRINAS, principalmente quem gosta de artes, assim como eu, vocês vão amar! Ela também tem um outro blog chamado NOS NECESITAN que denuncia maus tratos aos animais em diversos países, um trabalho muito legal...


Imagem do blog
 

Fiquei muito lisonjeada com a primeira participante do blog estrangeira (rs), é muito bom saber que o que você escreve é lido por pessoas de outros países e que interessa à pessoas tão talentosas! E não poderia deixar de dividir isso com vocês, espero que tenham gostado!

Beijos e até a próxima!


Príncipes Encantados


Acorda menina! Pare de sonhar! Príncipes encantados só existem nos contos de fadas. Enquanto você sonha com um príncipe encantado chegando num belo cavalo branco, quantas chances você não deve ter desperdiçado na sua vida! Lógico, os príncipes encantados da sua imaginação – aos quais me referi – no mundo moderno, não pertencem à realeza, tampouco chegam num belo cavalo branco, mas são providos de uma beleza física, igualável; de uma situação financeira estabilizada, semelhante; e chegam num belo carro importado. O que você pretende? Esperar um príncipe encantado utópico ou colocar-se a disposição de um homem de verdade? Com defeitos e qualidades, mas que te faça feliz? Um homem de verdade não é um homem perfeito e com diversos atributos! Um homem de verdade é aquele que se importa com você, que cuida de você e que te ama do jeito que você é... Aquele homem que olha nos teus olhos e sabe exatamente o que você está sentindo; que te abraça forte e afugenta todos os seus medos; que sussurra em seus ouvidos palavras doces que dizem tudo o que você precisa ouvir; que liga só pra ouvir sua voz e perguntar como foi o seu dia; que se interessa pelos seus assuntos mais corriqueiros; que implica com você só pra chamar sua atenção; que espera você se arrumar com paciência, quando você já experimentou e trocou de roupas umas vinte vezes, e mesmo assim te elogiou em cada uma delas; aquele homem que acorda do seu lado e te vê descabelada, com olhos inchados, com pés descalços e te acha uma princesa; que te olha dormindo e te acha um anjo; que te vê sorrindo e deseja ser o motivo; que te ver sonhando e quer sonhar junto; que te vê triste e quer arrancar sua tristeza. Homem de verdade não se encontra nos livros, homens de verdade só existem na realidade de quem deseja vivenciá-la. E não importa quem seja, contando que seja, contando esteja – disposto –, e te faça feliz... Pois a felicidade não se compra, não se vende e não se acha por aí... Ela é conquistada no dia-a-dia, nos pequenos gestos. Portando, liberte seu coração e seja livre para amar de verdade. E seja livre também para fazer dessa realidade um sonho.

 

 

quinta-feira, 25 de julho de 2013

Dia do Escritor

 
 
Pra comemorar o dia dos escritores, vou falar um pouquinho de um dos maiores escritores do Brasil e um dos meus preferidos - Mario Quintana (30/071906 - 05/05/1994).
 
 
 

Minha intenção não é fazer uma biografia completa, mas falar brevemente sobre o escritor e sua obra.
 
Mario Quintana nasceu em Alegrete - Rio Grande do Sul -, depois mudou-se para Porto Alegre, no mesmo Estado, onde escreveu a maior parte de sua obra e morou até o último dia de sua vida. Mario Quintana viveu marcado pela solidão, perdeu a mãe com apenas três anos de idade e o pai não chegou a conhecer, não se casou, e também não teve filhos; Mario Quintana teve um vida bem simples e sem luxo, morou em um quarto de hotel até ser despejado por conta de problemas financeiros e contou com ajuda de amigos, que lhe cederam um outro local pra morar.

Mário Quintana estudou no Colégio Militar, onde teve seus primeiros contatos com a literatura; foi além de poeta, tradutor e jornalista; Considerado até os dias de hoje, como poeta das coisas simples, em 1940, ele lançou o seu primeiro livro de poesias, A Rua dos Cataventos; trabalhou também para a Editora Globo e como tradutor, traduziu mais de cento e trinta obras da literatura universal, entre elas Em Busca do Tempo Perdido de Marcel Proust, Mrs Dalloway de Virginia Woolf, e Palavras e Sangue, de Giovanni Papini; trabalhou ainda no jornal Correio do Povo, como colunista da página de cultura, que saía aos sábados.
 

 
Obra poética:
 
  • A Rua dos Cataventos - Porto Alegre, Editora do Globo, 1940
  • Canções - Porto Alegre, Editora do Globo, 1946
  • Sapato Florido - Porto Alegre, Editora do Globo, 1948
  • O Aprendiz de Feiticeiro - Porto Alegre, Editora Fronteira, 1950
  • Espelho Mágico - Porto Alegre, Editora do Globo, 1951
  • Inéditos e Esparsos - Alegrete, Cadernos do Extremo Sul, 1953
  • Poesias - Porto Alegre, Editora do Globo, 1962
  • Caderno H - Porto Alegre, Editora do Globo, 1973
  • Apontamentos de História Sobrenatural - Porto Alegre, Editora do Globo / Instituto Estadual do Livro, 1976
  • Quintanares- Porto Alegre, Editora do Globo, 1976
  • A Vaca e o Hipogrifo - Porto Alegre, Garatuja, 1977
  • Esconderijos do Tempo - Porto Alegre, L&PM, 1980
  • Baú de Espantos - Porto Alegre - Editora do Globo, 1986
  • Preparativos de Viagem - Rio de Janeiro - Editora Globo, 1987
  • Da Preguiça como Método de Trabalho - Rio de Janeiro, Editora Globo, 1987
  • Porta Giratória - São Paulo, Editora Globo, 1988
  • A Cor do Invisível - São Paulo, Editora Globo, 1989
  • Velório Sem Defunto - Porto Alegre, Mercado Aberto, 1990
  • Água - Porto Alegre, Artes e Ofícios, 2011
    •  

    Livros infantis:

     
  • O Batalhão das Letras - Porto Alegre, Editora do Globo, 1948
  • Pé de Pilão - Petrópolis, Editora Vozes, 1968
  • Lili inventa o Mundo - Porto Alegre, Mercado Aberto, 1983
  • Nariz de Vidro - São Paulo, Editora Moderna, 1984
  • O Sapo Amarelo - Porto Alegre, Mercado Aberto, 1984
  • Sapato Furado - São Paulo, FTD Editora, 1994

  • Antologias:
     
    • Nova Antologia Poética - Rio de Janeiro, Ed. do Autor, 1966
    • Prosa & Verso - Porto Alegre, Editora do Globo, 1978
    • Chew me up Slowly (Caderno H) - Porto Alegre, Editora do Globo / Riocell, 1978
    • Na Volta da Esquina - Porto Alegre, L&PM, 1979
    • Objetos Perdidos y Otros Poemas - Buenos Aires, Calicanto, 1979
    • Nova Antologia Poética - Rio de Janeiro, Codecri, 1981
    • Literatura Comentada - Editora Abril, Seleção e Organização Regina Zilberman, 1982
    • Os Melhores Poemas de Mario Quintana (seleção e introdução de Fausto Cunha)- São Paulo, Editora Global, 1983
    • Primavera Cruza o Rio - Porto Alegre, Editora do Globo, 1985
    • 80 anos de Poesia - São Paulo, Editora Globo, 1986
    • Trinta Poemas - Porto Alegre, Coordenação do Livro e Literatura da SMC, 1990
    • Ora Bolas - Porto Alegre, Artes e Ofícios, 1994
    • Antologia Poética - Porto Alegre, L&PM, 1997
    • Mario Quintana, Poesia Completa - Rio de Janeiro, Nova Aguilar, 2005


    E pra fechar com chave de ouro, o texto que acredito ser o mais conhecido do escritor:

     

    BORBOLETAS - MARIO QUINTANA 
     
     
     
     

    Quando depositamos muita confiança ou expectativas em uma pessoa, o risco de se decepcionar é grande. As pessoas não estão neste mundo para satisfazer as nossas expectativas, assim como não estamos aqui, para satisfazer as dela. Temos que nos bastar... nos bastar sempre e quando procuramos estar com alguém, temos que nos conscientizar de que estamos juntos porque gostamos, porque queremos e nos sentimos bem, nunca por precisar de alguém. As pessoas não se precisam, elas se completam... não por serem metades, mas por serem inteiras, dispostas a dividir objetivos comuns, alegrias e vida. Com o tempo, você vai percebendo que para ser feliz com a outra pessoa, você precisa em primeiro lugar, não precisar dela. Percebe também que aquela pessoa que você ama (ou acha que ama) e que não quer nada com você, definitivamente, não é o homem ou a mulher de sua vida. Você aprende a gostar de você, a cuidar de você, e principalmente a gostar de quem gosta de você. O segredo é não cuidar das borboletas e sim cuidar do jardim para que elas venham até você. No final das contas, você vai achar não quem você estava procurando, mas quem estava procurando por você!
    

    quinta-feira, 18 de julho de 2013

    Resenha - CD Deus é Romântico

    Olá, hoje vou apresentar pra vocês o CD DEUS É ROMANTICO, do cantor HENRIQUE CERQUEIRA, mas antes de falar do CD, eu queria falar um pouquinho sobre a trajetória do Henrique Cerqueira... Pra quem não o conhece (o que eu acho bem difícil rs), ele é um artista completo, é poeta, compõe, canta, toca, desenha, e além de ser talentoso, é muito carismático... Iniciou sua carreira na banda Pimentas do Reino que em 2006 virou sucesso na internet por suas músicas românticas, atingindo principalmente o público adolescente que se identificou com as letras que traziam assuntos cotidianos de uma forma bem peculiar.
     
     
    Ensaio - Pimentas do Reino
     

    Em 2008 a cantora Claudia Leitte gravou Pensando em você, uma de suas composições; satisfeita com o sucesso, Claudia Leitte continuou a parceria e em 2010 gravou Don Juan e Crime, canções que fazem parte do Cd Máscaras. Em 2011, Henrique Cerqueira foi convidado por Claudia Leitte para fazer uma participação especial do seu DVD Negalora, onde gravaram a música Crime e o mais legal, é que toda a renda desse DVD está sendo revertida para o Hospital Aristides Maltez na luta contra o cancer. Outros artistas também gravaram músicas de Henrique Cerqueira, entre eles, Belo (Don Juan), Gilmelandia (Saudade), Turma do Pagode (Pensando em você), Kleber Lucas (Não fuja de mim), Wiliam Nascimento (Don Juan) e Pâmela (Crime, Eu to apaixonado e Romance com o céu).
     
     
                                                  
     
    O primeiro álbum gravado pelo Henrique Cerqueira, quando ainda fazia parte da banda Pimentas do Reino, foi o Ficção e Realidade (2005), seguido do Versos (2006), Pimentas do Reino EP (2008), Pensando em Você (2009); o primeiro da carreira solo, Pimentas do Reino (2010) e o trabalho mais recente, o CD Deus é Romântico, que foi lançado em 2012 pela gravadora Som Livre, trazendo o mesmo perfil dos outros que o levaram ao sucesso na banda Pimentas do Reino. O CD traz 14 faixas distribuídas entre regravações de sucessos e faixas inéditas, entre hits mais românticos e baladas, com mensagens que falam principalmente de Deus e de amor; o Cd conta ainda com a participação especial de outros artistas como Luiz Arcanjo, Renato Vianna, Jaime Shakila e Claudia Leitte.

    
    Capa e contracapa do CD Deus é Romântico (2012) - Henrique Cerqueira


     FAIXAS:

    1. Romance com o Céu

    2. Pensando em você

    3. Quarto Part. Esp.: Luiz Arcanjo

    4. Quem é Ela?

    5. Vou Amar-te (Vou A Marte) Part. Esp.: Renato Vianna

    6. A Sós com Deus

    7. Estética

    8. Fujo de te ver

    9. Lágrimas

    10. Que Deus Proteja

    11. Não Desista dos seus Sonhos

    12. Don Juan

    13. Levanta-Te África Part. Esp.: Jaime Shakila

    14. Crime com Claudia Leitte Bonus Track

    O CD Deus é Romântico foi lançado oficialmente no dia 02 de Maio de 2013, na tradicional Feira de São Cristóvão no Rio de Janeiro. No evento estavam presentes, amigos e antigos integrantes da banda Pimentas do Reino e contou ainda com a participação especial dos cantores Renato Vianna - que participa do CD - e o pregador Luo e Tonzão.
     
     
    MINHA OPINIÃO:


    Foi um CD bastante aguardado, talvez pelo fato de ser lançado por uma gravadora não-gospel, o que eu nunca dei importância; o CD correspondeu todas as minhas expectativas e a essência continua a mesma - talento e unção -; o Cd traz a canção Vou Amar-te (Vou A Marte), como música de trabalho, com a participação brilhante do Renato Vianna (no vídeo abaixo), traz também um bônus da canção Crime com a cantora Cláudia Leitte e traz ainda uma regravação de uma das minhas canções preferidas, Não desista dos seus sonhos (no vídeo abaixo). O CD é maravilhoso, com composições lindíssimas, arranjos perfeitos, participações especiais e a voz suave e inconfundível do Henrique Cerqueira.

    Quem ama música não pode deixar de conhecer e ter na sua coleção, além de ser um excelente presente também. Mas não comprem CD pirata, além de ser crime contra obra intelectual, se o fizermos, estaremos contribuindo para crimes bem piores... Bom, queridos é isso! Espero que vocês tenham gostado, se quiserem saber mais informações sobre o Henrique Cerqueira e o CD Deus é Romântico, no rodapé da postagem tem alguns links. OK?! Beijão e até a próxima!
      






    GOSTOU? QUER CONHECER MAIS?

    Comprar o CD online
    Letras das músicas
    Facebook Oficial
    Site Oficial
    Blog Oficial
    Vídeos - You Tube Oficial
    Twitter Oficial





     

    sexta-feira, 12 de julho de 2013

    Novidade

    Olá, queridos, como falei com vocês, esse é o cantinho que encontrei pra expor um pouco daquilo que eu crio, mas tenho sentindo a necessidade de abrir um espaço pra falar um pouco do que curto também, minhas influências, enfim... Então dentro da proposta do blog - literatura, música, artes - estarei fazendo algumas resenhas e espero que vocês aprovem a novidade. Aguardem!

    quarta-feira, 10 de julho de 2013

    Cresci equivocada, e só a pouco entendi, eu acreditava ter um estranho apreço pela solidão, quando na verdade era - e é - apenas uma forma de me proteger, ou você aceita a sua condição e aprecia o lado bom de sua companhia ou sente-se completamente só. Simples assim!

    sábado, 6 de julho de 2013

    Escolhas

    Melhor o silêncio, que o risco da incompreensão; melhor não ter amigos que tê-los apenas quando lhes convém; melhor enfrentar a solidão, que aceitar a solidão "a dois"; melhor deixar ir, que fazer infeliz a quem se ama; melhor a rotina ao lado de quem se ama, que a novidade libertina e vazia; melhor não ter, que não dar valor; melhor sofrer, que não amar; melhor perder, que nunca ter tido; melhor seguir em frente, que olhar pra trás; melhor esperar, que viver sem esperança; melhor viver que sonhar; melhor sonhar que não ter motivos; melhor a luta de cada dia que não ter como lutar; melhor conquistar que ganhar; melhor dar que receber; melhor ser decepcionado que decepcionar; melhor perdoar que guardar rancor; melhor correr riscos que não tentar; melhor insistir que desistir; melhor continuar, que recomeçar; melhor avançar, que recuar; melhor progredir, que retroceder; melhor aprender com os erros, que não cometê-los, ao tentar acertar; melhor ser você com todos os seus defeitos, que dissimular-se; melhor a essência que a aparência; melhor o amor que o dinheiro; melhor a simplicidade que a vaidade; melhor a correção que não aprender; melhor a tempestade, que a terra improdutiva; melhor a sabedoria que a cultura; melhor as palavras escritas que as não ditas; melhor ouvir que falar; melhor sentir que desejar; melhor ser encontrado que procurar; melhor contentar-se com pouco que nada ter; melhor ter atenção que ter mesada; melhor respeitar que temer; melhor pais ausentes, que não tê-los; melhor questionar que aceitar; melhor pensar que se deixar manipular; melhor criar que usurpar; melhor a experiência, que a idade propriamente dita; melhor a virtude divina, que objeto de valor inestimável; melhor um olhar, que uma joia rara; melhor um sorriso, que ver o sol; melhor um abraço, que sentir o toque do mar; melhor dá uma chance, que não saber; melhor amar, que tentar entender; melhor "eu e você" que apenas "eu" ou apenas "você"...

    Minha Cruz

              Por favor não se sinta culpado, não é você, sou eu! Eu não soube amar, me envolvi, me entreguei demais, me doei sem querer nada em troca e foi exatamente o que recebi: NADA. Sim, alguns sorrisos, alguns olhares, algumas palavras, alguns toques, mas totalmente despropositados e isso bastava pra alimentar esse sentimento. Logo, se alguém errou, fui eu! Nunca soube te entregar o amor que guardei, nunca fui o que você sempre sonhou e esperou, nunca teria orgulho de andar de mãos dadas comigo. Então como poderia arriscar perder a única coisa que tinha? Eu fiz de tudo pra chamar sua atenção, pra me tornar importante, pra ser a garota que você sempre sonhou, mas você se quer notou todo meu esforço, todo meu sacrifício, foi tudo em vão, fui ignorada e rejeitada. Até que um dia você encontrou alguém capaz de lhe feliz como eu nunca poderia, e só pra você saber, dói muito, muito mesmo, no entanto,  maior do que a dor é o desejo de um coração que te ama incondicionalmente de que sejas muito feliz, e por isso torço por você, que realizes tudo aquilo que um dia eu sonhei, digo eu e não você, porque tenho certeza de que sonhei muito mais do que você e meus sonhos eram tão belos e sinceros... Eram perfeitos, não fossem apenas sonhos!